Momentos


Vinte vinte, 2020, novo ano, ano novo, de trás para a frente, de frente para trás… é mais um ano não mais que isso, que esperamos preencher de coisas boas e boas coisas, um dia de cada vez.
O 19 foi bom e o 20 vai ser ainda melhor e, se daqui a um ano estiver a dizer o mesmo do 20 e do 21 é muito bom sinal.

São números… segundo, minuto, hora, dia, mês, ano… são momentos. É tudo uma questão de equilíbrio e viver intensamente esses momentos.

Para todos que por aqui passam, o meu desejo de um Bom Ano, cheio de momentos bons e inesquecíveis, para mais tarde recordar.

Bem-hajam.

Tudo de bom.



Por ser Dezembro


E assim vai o mês de Dezembro. Chuva conforme o previsto, frio e o trivial nesta altura.
 
No entanto não foi o frio nem a chuva, que me impediram de ir ao concerto dos Nouvelle Vague, no início do mês, 


e poucos dias depois o Rui Veloso. 

Momentos muito bons, para não esquecer e mais tarde recordar, tornando este mês muito mais agradável.

Associado ao mês de Dezembro também está (para além de alguns aniversários) o ritual de dar uma volta pela cidade, à noite, e apreciar as iluminações que não merecem da minha parte alguma referência especial. Como diria alguém que conheço: «toute la meme carbone de chosse», sem tradução possível, mas que substitui muito bem a velha frase…” a m**** de sempre”.

Cá em casa a árvore de natal e decoração está feita desde o início do mês, mas estou a pensar seriamente em deixar como está,  já para o próximo ano, pois tenho aquela sensação tipo... “parece que foi ontem que arrumei tudo”.

Obviamente que por ser Dezembro, e como habitualmente, aqui deixo a todos aqueles que comigo partilham esta cumplicidade blogosférica, me seguem há anos e, a todos os outros que por aqui vão passando, os meu votos de uma feliz quadra natalícia e um excelente ano novo

Tudo de bom, hoje e sempre.


Ventos favoráveis



Vai ser Dezembro, Inverno, Natal
e quem sabe
se os ventos forem favoráveis…
Vai haver música, sol e alguma chuva
e quem sabe
se os ventos forem favoráveis…
Talvez tu cantes, dances, telefones, escrevas
Quem sabe?
se os ventos forem favoráveis…

Tudo de bom!
;)



Num sítio que eu não digo


Há coisas que eu não compreendo, por muito que eu tente, e não há volta a dar.

- Doutor, dói-me a perna direita quando a cruzo. Não caí, não escorreguei, não dei mau jeito, não me lesionei na natação nem tão pouco na hidro, muito menos no ginásio. Não fui fazer a maratona e não durmo com o kama Sutra à cabeceira da cama, mas a verdade é que tenho uma dor horrível quando cruzo a perna. 

Ele olha muito sério para mim, fixa o olhar dele no meu (mentira, não tirou os olhos do terminal) e disse: «Não cruze a perna. Não cruze a perna por uns tempos e depois volte a falar do assunto».


E lá fui eu porta fora, desejando que o meu simpático médico, tivesse a dor que eu tenho na perna, num sítio que eu não digo aqui e agora… e o melhor é mesmo regressar ao trabalho após umas longas férias.

Siga!


Some guys have all the luck
Some guys have all the pain
Some guys get all the breaks
Some guys do nothing but complain
Alone in a crowd on a bus after working, I'm dreaming
The guy next to me has a girl in his arms, my arms are empty
How does it feel when the girl next to you says she loves you?
Seems so unfair when there's love everywhere but there's none for me
...
Some Guys Have All the Luck
Rod Stewart

Guardado está o bocado


Já me habituei a tirar férias fora das épocas habituais. Isto é, gozo férias em qualquer altura, faça sol ou chuva e acreditem que tem as suas vantagens.
Os preços são mais baratos, há menos gente (eu e a minha mania de não gostar de confusões e grandes ajuntamentos….), melhor atendimento (ás vezes) mas, essencialmente aproveitar ao máximo, o momento e o local escolhido.


E assim foi mais uma vez. Revisitei locais que já conhecia mas que sempre desejei um dia voltar, e visitei outros pela primeira vez.

O tempo foi diverso, desde frio, vento, chuva, trovoada e, como não podia deixar de ser o amigo calor, com temperaturas suficientes para ir à praia (em Outubro!) e à piscina exterior.
Boa cama, boa mesa, excelente companhia, óptima disposição, música e alguma leitura (levei dois livros mas só li parte de um).


Dois pormenores interessantes: Não vi televisão durante os dias que estive de férias e fui derrotado várias vezes no crapô (jogo de cartas) e no jogo do galo, mas isso é assunto para outro post.





Quanto aos locais… não vale a pena fazer aqui referência. Vocês são todos muito viajados e facilmente descobrem por onde andei.

Como costumo dizer, eu não faço promessas mas gostaria de voltar, pois lá diz o velho ditado que «guardado está o bocado, para quem o há-de comer». Adorei!

Tudo de bom.

Ou quase tudo


Podes mudar de namorada, amante, mulher
Podes mudar de sexo, cara, casa, roupa e até de personalidade
Podes mudar de sapatos, calças, restaurante e até podes mudar de amigos.
Podes mudar de carro, mota, e de animal de estimação…
Podes mudar de médico, a cor dos olhos, e também podes mudar de profissão.
Podes mudar de emprego, trabalho, pasta dos dentes, perfume e visual…
Podes mudar os hábitos alimentares, de vinho e marca de tabaco
Podes mudar (de) tudo… ou quase tudo.

"Big man, pig man
Ha, ha, charade you are
You well heeled big wheel
Ha, ha, charade you are"

PinkFloyd - Pigs


Tudo de bom.
:)
;)




Outubro, mês de mudanças.



Não estou a gostar deste Campeonato do Mundo de Atletismo em DOHA. Nunca vi “tanta” gente no estádio... 😟

Também não achei piada nenhuma à prova de  ‘estafeta mista’ 4x400 😵
Imagens IAAF_DOHA 2019
e é melhor ficar por aqui no que diz respeito a onda do contra (também não gosto da prova de marcha atlética…. )😕


Mudemos de assunto então, já que o mês de Outubro ainda agora vai no início. É o mês em que muda a hora e mês de eleições legislativas portuguesas.


Por outras palavras, é dia de mudar os porcos na gamela.

«Outubro, mês de mudanças». 



Tudo de bom.

:)
;)



Aos apalpões (literalmente)



Alguns carros de agora já andam sozinhos,  permitindo ao condutor ocupar as mãos com outras coisas. Não sei se será bom ou não, pois à mínima distracção lá se vai a pintura e não só...e há distracções que nenhum condutor aguenta por muito experiente que seja.
Mas deixemos a condução, porque um bom condutor precisa sempre de um bom co-piloto… de preferência que use óculos e não se engane na rota.

Passemos a outro assunto... a primeira vez que levei a minha namorada (na altura) a minha casa (que há muito ela andava a insistir, mas eu tive primeiro que fazer uma limpeza e arrumação), faltou a luz na rua, por conseguinte no prédio e, como é óbvio, no andar. Resultado... tive que andar aos apalpões pois já nessa altura via muito mal.



Perdoem este meu devaneio mas está mais que visto… não posso colocar açúcar no café. 😊😃

Tudo de bom.



Ai este Agosto



Amargo e doce, chuva e sol….
Com frio, calor, baunilha e chocolate .
Porque não queijo e marmelada, café e um cheirinho…

Não há playlist que chegue e satisfaça, pouca ou muita melodia, caminhadas e festivais
Olha o maluco…
A tatuar, a ler, a desenhar

Falta a tinta, o café em pó, os ovos para o bolo, o sol para bronzear …
A fila, a espera, o avião que não chega, o comboio que já partiu, o abraço que falta e o peixe que não morde.



A água da piscina está boa, a torrada, o iogurte com cereais e o almoço para tratar…
Falta o sumo de laranja… e a inspiração também.



Ai  este Agosto...

Tudo de bom!

...
Dá-me um abraço que seja forte
E me conforte a cada canto
Não digas nada que nada é tanto
E eu não me importo

- Miguel Gameiro-



Os novos invasores


Devagar devagarinho, com mais ou menos sol, o mês de Julho está quase a chegar ao fim. Não foi sinónimo de calor e óptimos dias de Verão (aqui no meu burgo), pois não tem faltado dias cinzentos, frio, vento, nevoeiro… foi só escolher.

Sendo assim e aproveitando um dos poucos dias de sol que foram aparecendo, armei-me em turista (cá dentro) e fui até à cidade do Porto, percorrendo os locais por onde eles andam, enchendo a cidade de um colorido e ambiente diferente.
Em determinadas alturas era o único português presente e não faltou mesmo quem se dirigisse a mim em inglês…


A cidade está em remodelação constante, direi mesmo que sempre que por lá passo há algo de novo. 
A onda turística é enorme, a construção e recuperação imobiliária está em alta e é bem visível, tornando ás vezes quase impossível tirar uma foto de determinada zona, sem que não apareçam na mesma, os guindastes, os novos invasores desta cidade que adoro.


Confesso que ás vezes tenho algum receio ao ver no que se está a transformar a baixa e zona circundante, numa enorme “praça de alimentação” e concentração de unidades hoteleiras. São sinais (dizem) de desenvolvimento, investimento e oportunidades de negócio e eu concordo, mas nem sempre gosto do que vejo, e só desejo que a minha cidade se mantenha ‘Antiga, Mui Nobre, Sempre Leal e Invicta ‘.

Tudo de bom.