Claro que não me esqueci



... e a prova disso, é que estou aqui para desejar a todos e respectivas famílias,  um Feliz Natal e um Bom Ano Novo com saúde, dinheiro e amor (como diz a canção).👍

Hoje e sempre tudo de bom!😉

Tás bonito, tás tás...


… No meio da conversa

Não é só isso, repara. Ela já foi antiga campeã de danças de salão, topas? Eu, que detesto danças de salão (aqueles tiques todos e aquelas plumas sempre me provocaram alguma irritação), tenho que deixar a minha mente livre, e preocupar-me em não a calcar e não a mandar ao chão. 

Depois, eu gosto de correr…. Ela gosta de caminhar. 
Portanto, ela ensina-me aqueles passes (e tiques estranhos) e eu ensino-a a correr?!
Não, não vai dar certo. 

- Se calhar eu comprava um saco de boxe.😆

És fresco, és.

... E a conversa continuava

Não achas que as luzes de natal na cidade (tão faladas e publicitadas pelo município) estão muito pobrezinhas, nada condizentes com a cidade top na procura turística, blá blá, blá blá?


- Não acho nada… o meu vizinho iluminou a varanda dele de tal forma, que mais parece um reclame de uma casa de alterne. 👀😮


Tás bonito hoje, tás tás.
😃

Tudo de bom.

Não é todos os dias



Devagar devagarinho, lá se vai aproximando o final do ano, mais um. Podemos mesmo dizer que ele está aí, o final do ano.
Mas antes temos o Natal…  


Até lá e entretanto, é bom aproveitar o melhor possível todos os momentos, porque ao contrário do que é costume dizer, Natal, não é todos os dias.

Tudo de bom.

Amigos, risadas e conversas




Foi quase em cima da hora, ou “em cima do joelho” como se costuma dizer, que se decidiu o encontro para aquela típica tarde de Inverno, com frio, chuva e vento.

A ideia era rever uma amiga e blogger, de longa data, ao mesmo tempo que fazíamos uma visita ao Forum da Maia, onde está a exposição World Press Photo 2018, uma exposição fotográfica que nos leva a momentos de imensa e necessária reflexão.



Depois foi tempo de colocar a conversa em dia, e reconfortar o estômago com umas famosas “rabaneides”.


É caso para dizer que tivemos um fantástico programa '3 em 1'.
Gostei muito!

Tudo de bom.




Há mar e mar


Ao dar um pequeno passeio matinal, quase a preto e branco, lembrei-me daquelas excelentes manhãs de praia…. e não vai assim há muito tempo.






É caso para dizer: «Há mar e mar. Há ir e voltar»

Tudo de bom.




Vai uma anedota?



Vamos lá ver se consigo contar uma, fresquinha fresquinha. 
Seria mais engraçado ‘ao vivo e a cores’, mas o blog também merece que eu o mantenha activo, e uma anedota sabe sempre bem.

Desde já aviso que não é própria para pessoas muito sensíveis, mas estão à vontade (não é à vontadinha) para deixar o vosso comentário


Aqui vai:

Tendo verificado que o meu banco, ou melhor, a entidade bancária com que trabalho há muitos anos, enviou um cartão multibanco para a minha morada antiga, passei pela agência e solicitei então a necessária alteração, que por esquecimento da minha parte (com tanta coisa na altura da mudança) não foi feita na devida altura.

Depois dos bons dias, cumprimentos e a habitual conversa da treta, informo o que me levou naquele dia à agência e que de pronto e muito solicita a funcionária começou a tratar…

 - É rápido Sr. Flores, diga-me então o novo endereço. Mas entretanto quero avisar que para esta alteração ser efectuada e validada, vou precisar de um documento com o seu nome e a nova morada.

 - Não tenho

 - Como?

 - Não tenho facturas nenhumas com o meu nome… não sou obrigado a ter.

 - Não tem?!  Telefone, água, luz…

 - Como já disse, não tenho facturas ou qualquer espécie de contrato em meu nome, mas posso provar a minha nova morada com o documento da entidade que emite o Cartão de Cidadão (obrigatório) já com a nova morada validada, alteração automática na Autoridade Tributária (Finanças), e com o qual solicitei mudança de Unidade de Saúde conforme documento em meu poder e que posso facultar.

 - Lamento sr. Flores, mas não serve. São normas (erradas ou não) e que têm que ser cumpridas.

 - E agora? (pergunto eu ao mesmo tempo que contenho uma grande gargalhada)

 - Não tem problema nenhum…. Fica aqui a alteração feita (endereço postal), que servirá só para envio de correspondência, e a antiga morada vamos manter como endereço fiscal até ao dia que deseje (?) alterar

 - ….. ????&#”$%$# Pronto ok. 


E despedi-me da funcionária com um gentil «passe muito bem e continuação de bom dia» ainda ela não tinha acabado de dizer a famosa frase….«precisa mais de alguma coisa?»



Tudo de bom!

Entre o ir e o voltar


Partimos pela manhã, tipo passeio, sem pressa. Paramos para almoçar e chegamos ao final da tarde. 

Por lá ficamos, rodeados de tudo o que é bom e desejamos para as tão merecidas férias. Até um apagão no serviço de net e comunicações durante os primeiros dias (… o que originou alguma preocupação entre familiares e amigos), “ajudou” ao sossego.








Não gosto de promessas nem tão pouco de as fazer, mas desejo sinceramente um dia voltar.

Tudo de bom.


Não vou de calções

Se ouvirem dizer que desapareci, não sabem por onde ando…. Não é coincidência, é mesmo verdade, vou de férias.😋


As bocas mais reaccionárias dirão….«pois, isto está bom para os malandros como tu» , ou então « claro, tu estás sempre de férias».  Eu digo sempre o mesmo, que ambos têm razão. 😊

Mas, desta vez com uma pequena alteração, porque há sempre uma primeira vez para tudo, «não vou de calções!» 👀


Bom fim-de-semana.
Tudo de bom!

Um olhar mais atento


Entre um pequeno- almoço e a espera de alguém, um regresso a casa, ou simplesmente um olhar mais atento por aí.







Tudo de bom.

A piscina… (dava um filme)


Já ando neste mundo dos blogs desde 2004, o que é motivo para dizer que pertenço ao grupo 'Jurássico', dos que ainda hoje andam por aqui e  vão resistindo a tendências, modas e navegação (comunicação) de outros/novos tempos, neste oceano imenso que é o mundo dos blogs.

Mas, nem a "idade avançada" evitou esconder alguma admiração (e emoção) quando recebi o convite da Teresa, do blog 'Ontem é só Memória', para participar num 'Guest Post'.

O texto com que participei na iniciativa,  com muito agrado, está publicado aqui e aguarda pela vossa visita, se  quiserem saber porque motivo A piscina… (dava um filme)


Obrigado mais uma vez à Teresa, pela simpatia e cumplicidade blogosférica.


Tudo de bom!

A piscina… (dava um filme)

Não sei como nem por onde iniciar este texto, mas sei que até o finalizar vou ter que arranjar um título.

… se calhar dava um filme.  


Foi naquela piscina que os meus filhos aprenderam há muitos anos atrás, a nadar. Foram muitos os sábados a levá-los ás aulas, vê-los a aprender e a evoluir numa modalidade saudável, necessária e óptima para o crescimento deles.

… alto, já temos um começo.

Anos depois, foi no mesmo complexo desportivo que eu comecei a usar o ginásio (de início uma vez por semana) procurando algum bem estar físico, psíquico e mental, combatendo assim e em boa parte uma situação de desemprego, numa idade em que era “novo para a reforma e velho para o trabalho”.

  … e aqui até temos “pano para mangas” com imensas histórias por contar. 


Mais tarde foi nesse mesmo complexo desportivo/ piscina/ginásio, ou simplesmente ‘A piscina’ como eu e a maioria diz, numa tarde de sol maravilhoso de uma quinta-feira do mês de Maio, que a minha vida parou… e parou mesmo, no verdadeiro sentido da palavra, porque o meu coração (o tal músculo que está permanentemente em movimento) decidiu, sem aviso prévio, parar durante uns minutos (muito longos e eternos para quem tentava salvar-me).

uma PCR (paragem cardio-respiratória) é já de si uma grande/grave história, nem sempre com final feliz.

Cinco meses mais tarde, regressei ‘à piscina’ onde continuei com a minha reabilitação, sempre acompanhado (e muito acarinhado) por excelentes profissionais, funcionários e colaboradores, que ajudaram e contribuíram para a minha boa condição física, ao ponto de conseguir participar, 4 anos depois, em três corridas (Dia do Pai, S. João e S. Silvestre).

… só esta oportunidade que me foi “concedida” já dá um filme. 



Mas a história, ou o filme, não acaba aqui, porque foi nessa mesma ‘piscina’ que mais recentemente, e já na minha fase Sex… sexagenário (risos) numa manhã de sábado e quando me preparava para mais uma aula de hidro, eu reencontrei alguém que não via nem sabia notícias há mais de trinta anos!

 ... e a história ainda vai no começo. 



Acho que ‘A piscina’ vai mesmo ficar para sempre tatuada na minha vida, uma vida cheia de histórias, momentos, pessoas, oportunidades e (re)começos.

… Agora é tempo de fazer e viver a nossa história.



A piscina… (dava um filme) … finalmente o título.

😊😉

À descoberta


Hoje decidi dar uma folga à segunda-feira. Vai daí declarei feriado e fui dar uma volta pelas redondezas, aproveitando o facto de o Verão continuar instalado por estas bandas, e ao mesmo tempo fazer um reconhecimento, pois estou a morar numa nova cidade desde o início do ano, mas ainda não conheço bem o burgo.

De máquina na mão fui então à descoberta.








Tenham uma boa semana.

Tudo de bom!


Já escolheu?


Vícios e manias, quem os não tem? 

Uma boa parte de quem me conhece pessoalmente, sabe que uma dessas tais manias consiste em nunca me sentar de costas para a porta de saída de um restaurante, café ou bar. Não há volta a dar, sempre foi assim desde que me conheço, lembro, e sem explicação lógica.

E hoje ri a bom rir com essa caricata situação (… pronto, mania), precisamente no restaurante onde costumo almoçar, já depois de me sentar (claro, de frente para a porta) e enquanto esperava para ser atendido, reparo que sou o único virado na referida direcção (para a  porta, como já disse), enquanto toda a gente estava virada ao contrário (salvo seja) e de nariz no prato ou na televisão que estava ligada.

Deu-me tanta vontade de rir que o empregado perguntou… «volto mais tarde ou já escolheu?»


Tudo de bom.
;)
:)

Guardado está o bocado


O Agosto já lá vai… E foi bom, o mês de Agosto.

foto by_RSF






Assim seja o mês de Setembro.

Tudo de bom.